Está aqui

Dicas para poupar no consumo de gás natural

Dicas poupar consumo gás natural

O objetivo por parte dos consumidores é diminuir o consumo de gás natural optimizando as suas formas de utilização e aproveitamento, para assim não sentir um elevado aumento na factura no final de cada mês.

O mais importe é comparar as tarifas de gás oferecidas pelas diferentes companhias comercializadoras de gás e ver qual é a que mais se ajusta as suas necessidades e com a qual mais pouparia.

Tenha também em conta as ofertas com as tarifas duais de gás e luz com as que pode poupar ainda mais.

Contacte-nos para que o ajudemos a poupar na conta do gás com estes trâmites.

Além disto apresentamos-lhe algumas dicas para manter as suas facturas de gás estáveis.


Porta do forno bem fechada

Cada vez que abre a porta do forno desperdiça 20% de energia. Os fornos a gás são energeticamente mais eficientes do que os eléctricos, apesar de estes terem etiquetas energéticas que identificam os aparelhos mais eficientes. Se optar pelos eléctricos, procure um de classe A: consumirá menos de metade do que um classe G.

Aproveite ao máximo a capacidade do forno e cozinhe o maior número de alimentos possível de uma só vez. Regra geral, não é preciso pré-aquecer o forno para cozinhados com duração superior a uma hora. Apague-o um pouco antes de acabar de cozinhar, pois o calor residual será suficiente para acabar o processo. Os fornos com ventilação interna favorecem a distribuição uniforme de calor, poupam tempo e gastam menos energia.

Placas de indução mais rápidas

As placas do fogão podem ser a gás ou eléctricas. Estas dividem-se em placas de resistências convencionais, do tipo vitrocerâmico, ou de indução. As de indução aquecem os alimentos ao gerarem campos magnéticos e são mais rápidas e eficientes do que as eléctricas. Segundo os especialistas da Adene, ao utilizarmos uma panela aberta com um fundo que difunde mal o calor numa placa eléctrica, precisa de 850 watts para manter em ebulição 1,5 litros de água. Numa panela com um fundo que difunda bem o calor, requer apenas 150 watts.

Menos água no banho

Demore menos tempo a tomar banho

Demore menos tempo a tomar banho e desligue a água enquanto se ensaboa. De acordo com a Quercus, se deixar correr a água menos de dez minutos, pode reduzir 6% a factura do gás natural. Os sistemas com acumulação de água quente são mais eficientes do que os de produção instantânea e sem acumulação, mas é importante que as tubagens estejam bem isoladas. Um duche pode consumir cerca de quatro vezes menos água do que um banho de imersão e deve evitar que as torneiras fiquem a pingar. O gotejar de uma torneira pode fazê-lo perder 100 litros de água por mês.

Coloque redutores de caudal de água nas torneiras e reguladores de temperatura com termóstato, sobretudo no duche, onde pode poupar entre 4 a 6% de energia. Troque aquelas que são independentes (de água fria ou quente) pelas que misturam as águas de diferentes temperaturas. Os sistemas de descarga parcial ou com duplo botão para o autoclismo também ajudam a poupar.

Vidros duplos e caixilharia em PVC

substitua as janelas e caixilharias por vidros duplos e caixilharias em PVC

Se for oportuno para o seu orçamento familiar, substitua as janelas e caixilharias por vidros duplos e caixilharias em PVC, que combinam tecnologia e técnicas de informática sem que haja intervenção humana no fabrico. Esta mudança permite menor transferência de calor entre a sua casa e o exterior, no Inverno. Aumenta o conforto da sua habitação e reduz a necessidade de aquecer ou arrefecer o seu interior.

Utilize o Sol como mais lhe convier

Se tiver uma casa com grande exposição solar, coloque persianas ou outros elementos de protecção para reduzir a incidência no Verão e maximizá-la no Inverno. A reabilitação urbana tem apostado no reforço do isolamento térmico e nas janelas, para que as casas reduzam as suas necessidades de aquecimento e arrefecimento.

Prefira cores claras nas paredes e tectos: aproveitam melhor a iluminação natural e reduzem a utilização artificial. Para ventilar completamente a habitação, abra as janelas durante dez minutos. Feche as persianas e cortinas durante a noite, para evitar perdas de calor, e apague as luzes das divisões que não estão a ser utilizadas.

Temperatura amena todo o ano

Defina o “set-point” do seu sistema de arrefecimento / aquecimento para 21 ou 22ºC no Verão e 19ºC no Inverno. Estas são as temperaturas em que a maior parte da população se sente confortável. Mais ou menos 1ºC implica mais 10% no consumo de energia. À noite, nos quartos, basta ter uma temperatura de 15ºC a 17ºC para que se sinta confortável. Em condições normais, é suficiente ligar o aquecimento durante a manhã.

À noite, deve ser desligado, a não ser que viva em zonas muito frias. O calor acumulado na habitação durante o dia costuma ser mais do que suficiente, sobretudo se fechar persianas e cortinas. Quando a casa estiver vazia durante muitas horas, considere a substituição de um termostato normal para um programável, para fixar as temperaturas em diferentes ciclos horários. Ligue o aquecimento depois de arejar a casa e fechar as janelas. Instale válvulas termostáticas e termostatos programáveis em radiadores, porque são soluções práticas e poupa entre 8 e 13% no consumo.

Quando se ausentar, reduza a posição do termostato para os 15ºC, o modo de “economia” de alguns modelos. Uma manutenção adequada da caldeira poupar-lhe-á até 15% em energia. O ar que os radiadores a água podem conter no seu interior dificulta a transmissão de calor da água quente para o exterior. É conveniente purgar este ar pelo menos uma vez por ano, no início da utilização.

Escolha o sistema mais eficiente

O Sol é um recurso grátis e abundante. Aproveite esta fonte de energia para instalar painéis solares térmicos, que lhe fornecem água quente sanitária.

Partilhar no Facebook  Partilhar no Twitter  Partilhar no Google Plus