Está aqui

Fatura Goldenergy

Fatura GoldEnergy

Ao receber a sua fatura Goldenergy de gás não consegue perceber de que se tratam todos aqueles números e nomes complicados?

A Lojaluz, neste artigo, irá tentar esclarecer todas as dúvidas que poderá ter em relação a sua fatura de gás da Goldenergy, assim ficará mais fácil saber se a cobrança está correta e buscar meios de poupar em seu consumo.

Não se esqueça que poderá mudar de comercializador sempre que estiver insatisfeito. Veja as opiniões dos clientes da Goldenergy para utilizar como referência na hora da contratação.


A Goldenergy

Fatura Goldenergy

Desde que o mercado de energia foi aberto também para o setor doméstico, Portugal já conta com 18 comercializadores de eletricidade para este segmento e outros 10 de gás natural.

A Goldenergy é uma companhia portuguesa que chegou em 2008, após esta liberalização do mercado. A princípio atuava só na comercialização do gás natural, mas atualmente também já trabalha com energia elétrica.

Esta companhia, em realidade, integra o grupo Dourogás SGPS, que é formado pelas seguintes empresas:

  • Dourogás – distribuição de gás propano;
  • Goldenergy – Comercialização de eletricidade e gás natural no mercado livre;
  • Sonorgás – Distribuição e comercialização de gás natural no mercado regulado.
 

Apesar do pouco tempo de existência, em comparação com as suas principais concorrentes, a Goldenergy vem conquistando espaço nas casas portuguesas graças às tarifas oferecidas com bons preços e descontos. No mercado de eletricidade, de acordo com os últimos dados divulgados pela ERSE, em Dezembro de 2016, a Goldenergy era a quarta companhia com maior número de clientes no país, com um total de 98.507 e com um consumo de 18.229MWh.

Consulte as tarifas disponíveis da GoldenergyPodemos ajudar a comparar com o seu serviço atual gratuitamente
Chamada Gratuita Leve-me ao comparador

Gás Natural

O consumo de gás natural apresenta grandes vantagens em relação ao uso das convencionais botijas de butano ou propano e, por isso, o seu consumo vem aumentando nos lares de nosso país. Além de possuir um preço mais barato pelo seu kWh, esta fonte de energia também permite um abastecimento contínuo e é mais seguro que as garrafas de gás, com menor possibilidade de causar explosões.

Segundo informes da ERSE (Entidade Reguladora de Serviços Energéticos), estima-se que, em 2017, o número de consumidores de gás natural chegará ao 1.5 milhões.

Alterações ou contratações?Todas as gestões em um só lugar. Auxiliamos gratuitamente!!
Chamada Gratuita Leve-me ao comparador

Escalão do gás natural

O escalão corresponde ao nível de consumo de gás natural que uma instalação pode ter. Em Portugal continental, todos os clientes domésticos estão ligados em baixa pressão, portanto, o consumo não poderá exceder os 10.000m³. Existem quatro faixas, chamadas de escalões, dentro das quais o cliente poderá encontrar o seu consumo. São os seguintes:

  • Escalão 1 – 0 a 220 m3/ano;
  • Escalão 2 - 221 a 500 m3/ano;
  • Escalão 3 – 501 a 1000 m3/ano;
  • Escalão 4 – 1001 a 10.000 m3/ano.
gas natural

Escalões acima destes valores já são oferecidos para os segmentos industriais e de grandes consumidores.

Ao celebrar um novo contrato de gás natural, o cliente tem o direito de escolher o escalão que acredite ser suficiente para a sua residência; no entanto, é um dever das companhias comercializadoras aconselharem e informarem sobre aquele que é mais favorável em cada caso. Após 12 meses da celebração do contrato, o operador da Rede de Distribuição, deverá verificar se o escalão atribuído corresponde a real faixa de consumo em que o cliente se encontra; se este não for o caso, lhe será conferido um novo escalão acorde com a sua verdadeira necessidade.

Como são formadas as tarifas de gás natural?

Termo Fixo do gás natural

O termo fixo do gás natural corresponde a um valor diário (€/dia) que o cliente deve pagar pelo uso do escalão que tem contratado, portanto, o preço irá variar de acordo com cada escalão.

Termo de Consumo

O termo de consumo, como o próprio nome diz, é o valor que o cliente paga por cada kWh consumido durante o período de faturação. E é medido em Euros por kWh (€/kWh).

Assim que, toda tarifa de gás natural sempre terá a cobrança destes dois termos. Geralmente, muitas companhias oferecem descontos, principalmente, no primeiro; mas é o segundo o maior responsável pelo preço total da fatura de um cliente, na maioria das vezes. Portanto, é melhor apostar por comercializadoras que apresentem ofertas no termo de consumo.

Leitura do Contador

Leitura Real X Leitura Estimada

É muito importante que o cliente realize a leitura do seu contador e a envie à companhia para que a mesma possa ter a informação real sobre a quantidade de gás natural consumida.

Caso, ao fechar o ciclo de faturação, o cliente não informe a leitura à comercializadora, esta realizará uma estimação do possível gasto do cliente, utilizando, como base, valores de consumo de períodos anteriores.

A ERSE estabeleceu como regra que, os ciclos de leituras dos contadores devem ser, como máximo, bimestrais, para qualquer um dos escalões disponíveis.

Metro Cúbico X Kilowatt-hora

No consumo do gás natural são empregadas duas unidades de medida, o metro cúbico (m³) e o Kilowatt-hora (kWh). A primeira utilizada pelos contadores e outros equipamentos de medição para registrar o volume consumido; mas, em suas faturas, o cliente encontrará a segunda.

De acordo com diretrizes europeias, ficou estabelecido que o consumo de gás natural deve ser faturado em unidade de energia, kWh. Tal fato foi definido levando em consideração os seguintes parâmetros:

  • Poder calorífico superior do gás natural;
  • Volume de gás natural registado no ponto de medição.

Para realizar a conversão de m³ a kWh, é necessário aplicar um fator de conversão determinado por uma fórmula que envolve o poder calorífico superior do gás (PCS), um fator de correção por temperatura, Fct (corresponde à temperatura média da zona de distribuição da instalação), e um fator de correção por pressão (Fcp).

Fator de Conversão (m3 para kWh) = PCS x Fct x Fcp

Comunicar leitura à Goldenergy

Para informar a leitura do seu contador de gás natural à Goldenergy e garantir que, assim, pagará o equivalente ao seu real consumo, poderá contactar a companhia através do telefone 800 100 072; ou ainda, enviando um correio eletrónico a leituras@goldenergy.pt.

Fornecer a sua leitura do contador de gás Todas as comercializadoras costumam disponibilizar para seus clientes um telefone ou outro meio de contacto através do qual poderá enviar a leitura do contador. Informe-se sobre o da sua companhia.

Descobrindo sua Fatura Goldenergy

Fatura GoldEnergy

Agora, explicaremos cada detalhe de uma fatura Goldenergy, de gás natural, utilizando, como exemplo, a que se encontra na foto abaixo.

O primeiro que encontraremos em nossa fatura Goldenergy, são os dados sobre a companhia, como a morada da sua sede e, ainda, todos os meios de contactá-la.

Logo abaixo, à esquerda, encontraremos os “Dados do Cliente” (o nome do titular do contrato, seu NIF e o endereço em que é fornecida a luz) e depois, os “Dados Gerais”, que se referem ao Escalão utilizado naquele imóvel, ao número de cliente e de contrato, ao CUI (Código Universal de Instalação) e o número da instalação.

CUI Assim como o CPE da eletricidade, o CUI é um código único que identifica cada instalação de gás natural individualmente e é fornecido pela empresa distribuidora de energia de cada região.

Ao lado direito, ainda na parte superior do documento, encontraremos o nome do responsável pelo pagamento daquela fatura e a morada a que a mesma é remetida (não necessariamente coincidem com o nome do titular do contrato e com o endereço do fornecimento).

Justo abaixo virá o valor total a pagar, a data limite para o mesmo, o total que já foi faturado no mês (caso o cliente possua algum crédito que já tenha sido descontado pela companhia), as datas correspondentes ao período de faturação e, por último, o número e a data de emissão da fatura.

A seguir encontramos informação correspondente a leitura de nosso contador:

  1. primeiro, veremos o número que o identifica e a seu lado, a pressão do gás naquela instalação;
  2. depois encontramos as datas e os valores das duas últimas leituras realizadas, em metros cúbicos;
  3. o consumo medido é resultado de uma subtração do valor da última leitura, pela anterior, também em metros cúbicos;
  4. o fator de conversão, como já explicamos anteriormente, diz respeito ao fator utilizado para transformar metros-cúbicos em Kilowatts;
  5. por último, teremos o consumo medido em Kilowatts, ou seja, após ter sido aplicado o fator de conversão do m³ para o mesmo.

Consumo Estimado Em Consumo Estimado, no exemplo dado, encontramos o valor de zero, porque o cliente em questão forneceu a leitura real do seu contador, ou seja, não foi necessário que a companhia realizasse uma estimação do gasto em gás natural daquela morada.

Depois da parte da leitura, encontraremos os "Detalhes da Fatura". Primeiramente, em descrição irá constar a que se refere cada valor:

  • Termo Fixo (o valor pago pelo escalão);
  • Consumo de gás medido ou Consumo de gás estimado;
  • Imposto Especial de Consumo de Gás Combustível (IEC).

Ao lado da descrição virá o código de referência da tarifa que o cliente tem contratada, depois as datas iniciais e finais do ciclo de faturação, a quantidade de kWh (no caso do consumo e do imposto) ou de dias (para o termo fixo), o preço do kWh ou do termo fixo (de acordo com o que foi contratado na tarifa) e também do Imposto Especial de Consumo de Gás Natural Combustível (IEC), o valor total (quantidade x preço) e, por último o IVA incidente no gás natural (6% no termo fixo e 23% no termo de consumo, sempre que o consumo de gás natural seja inferior a 10 mil m3 anuais).

No seguinte tópico de Detalhes da Fatura, veremos “Outros débitos/Créditos”, em que constarão os demais impostos pagos no Gás Natural: as taxas de acesso às redes e a taxa de ocupação de subsolo (que irá variar a depender do município em que se encontra a morada). Logo abaixo,está o total da fatura somado com e sem o IVA.

Taxa de Ocupação do Subsolo Desde o dia 01 de janeiro de 2017, quando entrou em vigor o Orçamento do Estado para este mesmo ano (OE2017), a TOS passou a ser um encargo das próprias empresas de eletricidade, ou seja, o consumidor já não é mais o responsável por pagar este imposto.

Preço e impostos do Gás Natural Para mais informação sobre como é calculado o preço do gás natural e os seus correspondentes impostos, visite o nosso artigo: O Preço do Gás Natural.

Em “Mensagens” temos algumas informações importantes, como o telefone da Goldenergy a que posso ligar para fornecer minha leitura e a melhor data para fazê-lo, mais informação sobre as tarifas de acesso às redes, o tipo de energia utilizado no abastecimento (como é uma fatura de gás natural, sempre será energia fóssil) e uma explicação de que a mesma poderá estar a corrigir valores cobrados em faturas anteriores que possam ter sido baseados em leituras estimadas superiores ou inferiores ao consumo real.

Do lado direito, encontramos um gráfico que indica o histórico de consumo durante os últimos 12 meses.

Para finalizar, encontramos informações sobre como realizar o pagamento da fatura em um caixa Multibanco, por Débito Direto ou através de um agente Goldenergy.

Alterações ou contratações?Todas as gestões em um só lugar. Auxiliamos gratuitamente!!
Chamada Gratuita Leve-me ao comparador