Suíça com maior aposta em energias renováveis

Neste último domingo, a Suíça aprovou, em referendo, a nova lei proposta pelo governo “Estratégia Energética Dois Mil e Cinquenta”, que propõe um maior investimento nas energias renováveis frente à energia nuclear. A ideia agora é investir diretamente no desenvolvimento, até 2035, de centrais de energias hidráulicas, eólicas, solares, geotérmicas e de biomassa.

O país, que conta com cinco centrais nucleares, já havia realizado, anteriormente, uma primeira votação democrática, mas nesta era exigido o fechamento de três destas usinas até o final deste mesmo ano e, por isso, foi considerada demasiado radical pela população e não foi aprovada. No entanto, o referendo aprovado neste 21 de maio, propõe o fim da energia nuclear, mas num processo gradual, respeitando o período de vida útil de cada usina até que se produza o seu cerre total, enquanto se investe nas energias renováveis.

Suíça investirá em energias renováveis

Esta reflexão acerca do fechamento de centrais nucleares surgiu após o acidente em Fukushima, no Japão, há seis anos. A Suíça pensa seguir o exemplo da Alemanha, que também planeia fechar todas as suas usinas nucleares até 2022.

Com esta decisão, o Governo afirmou que o custo da eletricidade irá sofrer um aumento para toda a população, com uma média de 40 francos suíços (aproximadamente, 36,60€) anuais a cada família. Partidos de oposição afirmam que este valor será muito mais alto e que ainda fará com que o país aumente a importação de energia e que a paisagem será desfigurada com o aumento das turbinas eólicas e de painéis solares.

58,2% dos votantes do referendo, no entanto, parecem que não se importam com o acréscimo anual às suas despesas de energia frente às vantagens que trará, ao país, o crescimento das energias renováveis com fechamento das dentrais nucleares.

211 451 219
Quero que me liguem