Está aqui

Consumo médio de eletricidade

call lojaluz
Consumo médio eletricidade

O fornecimento elétrico é muito importante para qualquer consumidor, mas a sua preocupação máxima é de poupança. Esta deve ser evidente todos os meses, no momento em que o cliente recebe a fatura da eletricidade. Tanto a utilização deste serviço como a tarifa que o cliente tem contratada vão influenciar o valor final da factura.

Para conseguir obter esta poupança, o cliente tem de saber qual a potência e a tarifa de luz que tem contratada. Sabendo isso e seguindo alguns dos conselhos que lhe vamos apresentar, neste artigo, conseguirá notar diferenças na sua fatura.

Apresentamos o consumo médio das famílias, como exemplo, para que tenha uma ideia de onde se gasta e onde se poderá conseguir poupar na sua fatura elétrica.

Se ainda não aderiu ao mercado livre, a Lojaluz conta com uma equipa de profissionais especializados, dispostos à ajudar seja qual for sua dúvida em relação ao gás natural ou eletricidade. Não hesite em contactar-nos e comece a poupar o mais rápido possível.

Também deixamos à vossa disposição o primeiro comparador de tarifas elétricas do mercado liberalizado português.

Ligar a luz à rede elétrica

A nova ligação da eletricidade é um procedimento gratuito que o cliente deve fazer, quando a instalação eléctrica estiver prestes a ser utilizada. A contratação da eletricidade pode ser feita através de várias companhias, mas saiba qual é a detentora da melhor tarifa eléctrica para que consiga poupar com a luz de casa.

Ao ligar a eletricidade deve decidir:

Como calcular o consumo elétrico?

O consumo durante o período de facturação faz com que a despesa seja maior ou não, segundo a quantidade de kWh que consumiu. Neste aspecto, o termo fixo não muda, pois este é uma quantidade independente do consumo e está ligado à potência contratada.

Para calcular o consumo eléctrico deverá ter em conta os seguintes parâmetros:

  • Aparelhos que utiliza habitualmente a casa;
  • Potência elétrica de cada um dos eletrodomésticos;
  • Contabilizar durante quanto tempo se mantêm em funcionamento.

Potencia elétrica (kW) x Tempo de utilização = Energia consumida (kWh)

Kwh (Quilowatt-hora), é a unidade de medida da energia consumida por um aparelho durante um determinado período de tempo.Tenha em atenção que esta encontra-se ligada à qualidade da energia da distribuidora.

Qual é o consumo médio elétrico numa casa em Portugal?

Como pagar menos por sua fatura de luz? Ao analisar a vossa situação, nossos especialistas poderão fazê-lo poupar até 200€ ao ano!
Chamada Gratuita Leve-me ao comparador

Para saber qual é o consumo médio de uma casa portuguesa ou da sua própria casa, deverá ter em conta para contabilização, quantos equipamentos estão ligados à corrente eléctrica. Para facilitar este procedimento, apresentamos-lhe o seguinte quadro:

  • Cozinha
  • Placa elétrica: 1.5 kW x  60 horas mensais (2 horas diárias) = 90 kWh/mês
  • Máquina de café: 1.2 kW x 30 horas mensais (1 hora diária) = 36 kWh/mês
  • Frigorífico: 26 kWh/mês
  • Torradeira: 0.75 kW x 30 horas mensais (1 hora diária) = 22.5 kWh/mês
  • Iluminação: 0.15 kW x 90 horas mensais (3 horas diárias) = 13.5 kWh/mês
  • Máquina de lavar louça: 0.7875 kW x 16 horas mensais (4 horas semana) = 12.6 kWh/mês
  • Forno elétrico: 2.5 kW x 12 horas mensais (3 horas semanais) =11.09 kWh/mês
  • Ferro de engomar: 0.8 kW x 12 horas mensais (3 horas semana) = 10.31 kWh/mês
  • Máquina de lavar roupa: 0.48 kW x 12 horas mensais (3 horas semana) =  5.76 kWh/mês
  • Exaustor: 0.15 kW x 30 horas mensais (1 hora diária) = 4.5 kWh/mês
  • Micro-ondas: 1 kW x 4 horas mensais (1 semanal) = 4.3 kWh/mês

Consumo médio mensal na cozinha: 236.6 kWh/mês x 12 = 2839.2 kWh/ano.

  • Sala
  • Aspirador: 1.34 kW x 12 horas mensais (3 horas semanas) = 16.08 kWh/mês
  • Iluminação: 0.225 kW x 60 horas mensais (2 horas diárias) = 13.5 kWh/mês
  • Televisão: 0.09 x 120 horas mensais (4 horas diárias) = 10.8 kWh/mês
  • Aparelhagem de som: 0.03 x 90 horas mensais (3 horas diárias) = 2.7 kWh/mês

Consumo médio mensal na sala: 43.08 kWh/mês x 12 = 516.96 kWh/ano.

  • Quarto
  • Computador: 0.25 kW x 90 horas mensais (3 horas diárias) = 22.5 kWh/mês
  • Impressora: 0.09 kW x 60 horas mensais (2 horas diárias) =  5.4 kWh/mês
  • Iluminação: 0.06 kW x 120 horas mensais (4 horas diárias) = 7.2 kWh/mês

Consumo médio mensal no quarto: 35.1 kWh/mês x 12 = 421.2 kWh/ano

  • Casa de banho
  • Secador cabelo: 0.043 kW x 30 horas mensais (1 hora diária) = 1.29 kWh/mês
  • Radiador: 1 kW x 60 horas mensais (2 horas diárias) = 60 kWh/mês
  • Iluminaçao: 0.06 x 120 horas mensais (4 horas diárias) = 7.2 kWh/mês
  • Consumo médio mensal na casa de banho: 68.49 kWh/mes x 12 = 821.88 kWh/ano

Tenha ainda em conta, os grandes eletrodomésticos em casa:

Ar condicionado: 1.8 kW x 90 horas mensais (3 horas diárias) = 162 kWh/mês

Aquecimento elétrico: 1.5 kW x 90 horas mensais (3 horas diárias) = 135 kWh/mês

Formas de poupar no consumo energético

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) é  responsável pela regulação dos preços dos sectores do gás natural e da eletricidade. A gestão dos fornecimentos de gás natural e da eletricidade está ao abrigo dos valores, missão e princípios da ERSE.

Na liberalização do sector a ERSE tem um papel primordial, ao ser quem regula os preços e tarifas de luz.

Existem enumeras formas, recomendadas pela ERSE, para ajudar o cliente a poupar no seu consumo energético de casa:

  • Utilizar lâmpadas economizadoras, em vez das incandescentes;
  • Desligar,sempre que não esteja a ser utilizado, as televisões, computadores, DVD's, carregadores de telemóveis ou qualquer outro aparelho eletrónico;
  • Se tiver a tarifa bi-horária, coloque as máquinas de lavar a louça e/ou roupa a trabalhar entre as 22h e as 8h00, bem como o ferro de engomar. O aquecimento e/ou arrefecimento também é preferível pô-lo a trabalhar à noite;
  • Se comprar algum eletrodoméstico novo, opte pelos de classe energética A, A+ ou A++
  • Cuide do seu frigorífico.Coloque-o num local fresco e ventilado. Limpe a parte traseira, no mínimo uma vez por ano e descongele-o antes da camada de gelo atingir os 3 milímetros. Ajuste o termostato para manter os 5ºC no compartimento do frigorífico e os -18ºC no congelador;
  • Ponha a sua máquina de lavar a louça e/ou roupa a trabalhar apenas quando estas estiverem cheias;
  • Aproveite ao máximo a capacidade do forno e cozinhe o maior número de alimentos possível de uma só vez. Regra geral, não é preciso pré-aquecer o forno para cozinhados com duração superior a uma hora. Apague-o um pouco antes de acabar de cozinhar, pois o calor residual será suficiente para acabar o processo;
  • Escolha os recursos disponíveis como o microondas, fogão e, por último, o forno. Utilize panelas com fundos de grande difusão de calor e, sempre que possível, opte por cozinhar em panelas de pressão, que consomem menos energia. Tape as panelas durante a cozedura e aproveite o calor residual das placas elétricas, desligando-as cinco minutos antes do prato estar pronto;
  • Aproveite o aquecimento do ferro para passar grandes quantidades de roupa. Abra as janelas e provoque correntes de ar naturais, para que não seja preciso ligar a ventilação;
  • Demore menos tempo a tomar banho e desligue a água enquanto se ensaboa;
  • Substitua as janelas e caixilharias por vidros duplos e caixilharias em PVC. Esta mudança permite menor transferência de calor entre a sua casa e o exterior, no Inverno. Reduz a necessidade de aquecer ou arrefecer o seu interior.
  • Se tiver uma casa com grande exposição solar, coloque persianas ou outros elementos de proteção para reduzir a incidência no Verão e maximizá-la no Inverno.
  • Prefira cores claras nas paredes e tetos: aproveitam melhor a iluminação natural e reduzem a utilização artificial. Para ventilar completamente a habitação, abra as janelas durante dez minutos. Feche as persianas e cortinas durante a noite, para evitar perdas de calor.
  • Apague as luzes das divisões que não estão a ser utilizadas.

Qual a tarifa que mais me convém?

Depois de verificar o consumo médio que se efetua, normalmente, numa casa, o  cliente pode decidir mudar a tarifa de luz que tem contratada. Para tal, deverá comparar as tarifas de luz apresentadas pelas diferentes companhias de luz e uma vez que saiba qual é o seu consumo, deverá escolher aquela que mais se adequa às suas necessidades.

As tarifas oferecidas pelo mercado são baseadas pela regulação da ERSE. Esta regulação permite que a partir de um preço estipulado pelo Governo, as companhias comercializadoras proponham descontos ou preços diferentes.

Saiba que pode mudar de tarifa a qualquer momento. Conte connosco para o ajudarmos a escolher a melhor companhia e tarifa.

As tarifas duais como possibilidade de poupança

grandes descontos por contratar ambas

As tarifas duais são uma contratação conjunta do gás natural e da luz. Assim, o cliente pode ter a faturação destes dois fornecimentos juntos ao abrigo da mesma companhia e de maneira comum,ou seja, aparecendo numa mesma fatura.

A maioria dos fornecedores de gás e luz proporciona ao cliente a possibilidade de conseguir grandes descontos por contratar ambas.

Aconselhamos a tarifa dual para que consiga poupar dinheiro na sua fatura durante todos os meses.

Como mudar de empresa de eletricidade

Assim como a potência contratada, também é possível mudar o fornecedor de luz. Com a abertura do mercado, mudar a titularidade, alterar potências e mudar de fornecedor são ações possíveis, diferentemente do mercado regulado, onde apenas uma empresa era detentora de todo o território nacional.

No caso do cliente encontrar uma tarifa mais conveniente para si, é recomendado mudar de companhia de eletricidade. A mudança é gratuita e geralmente demora enter 5 e 7 dias úteis para ser realizada. Basta contactar com a nova companhia que deseja celebrar o novo contrato de luz.

A Lojaluz é especialista em comparações, deixando o cliente ciente de todas as tarifas do mercado e analisando qual é a mais interessante para o cada situação. Contacte-nos e comece a poupar, já!