Está aqui

 

Dicas para poupar no consumo de eletricidade

Dicas poupar consumo eletricidade

O objectivo por parte dos consumidores é diminuir o consumo de electricidade optimizando as suas formas de utilização e aproveitamento, para assim não se sentir um elevado aumento na factura no final de cada mês.

Apresentamos-lhe algumas dicas para manter as suas facturas de electricidade estáveis.Saiba como poupar na electricidade

No mercado liberalizado, o cliente pode escolher a tarifa que quer contratar, mas além disso, pode também comparar as companhias elétricas para escolher a melhor e assim poupar com a conta da luz.

Esta é uma das principais vantagens dos consumidores do sector. Assim, a poupança na gestão do seu fornecimento elétrico é possível, e conte connosco para encontrar as melhores opções.

Poupar ao activar o contador elétrico

Neste ponto, a instalação elétrica está prestes a ser utilizada, e o cliente já tem no seu poder o CPE (Código do Ponto de Entrega), e o certificado da instalação, expedido pela CERTIEL.

Para ligar a luz, o cliente deve decidir:

  • Potência elétrica a contratar
  • Titularidade do contrato
  • Tarifa a contratar
  • Companhia comercializadora a contratar

Para escolher a tarifa de luz e a companhia, antes deve realizar um estudo comparativo, e uma vez que tenha a conclusão, pode contactar com a comercializadora para formalizar e celebrar o contrato. Conte connosco para que o ajudemos nesta decisão.

Alterar o contrato da luz para poupar: titularidade e potência

um contrato elétrico sofre varias alterações

Normalmente, ao longo do tempo, um contrato elétrico sofre varias alterações. A mais comum é a alteração da potência elétrica.

Esta alteração pode ser feita com qualquer companhia, por isso, quando o cliente decidir que deve mudar a tensão do seu fornecimento, pode solicitar esta mudança a qualquer comercializadora, e assim contratar outra tarifa que seja melhor que a que tinha contratada. Desta forma, se reduz a potência e muda de tarifa, a poupança chega a pontos insuperáveis. Mas deve contar com a nossa ajuda, para que estas decisões sejam as melhores. Um aumento da potência também é um trâmite comum, nos casos em que a tensão contratada não é suficiente, e por isso, o cliente pode solicitar mais potência e assim poder usufruir do seu fornecimento corretamente.

Outra alteração comum é a troca da titularidade do contrato da luz. A alteração da titularidade do contrato da luz pode ser feita por a mesma companhia que tem contratada, ou mudar de companhia ao mesmo tempo em que altera o contrato, e desta forma, após a comparação de preços da energia, pode contratar uma nova tarifa melhor que a anterior para poupar, e com o novo titular.

Comparar as tarifas de eletricidade e mudar de companhia

 

descontos aplicados sobre os preços regulados pela ERSE

A comparação das tarifas elétricas é um trabalho que se deve fazer antes de qualquer alteração do contrato ou da nova ligação. Ao longo do tempo pode-se encontrar alguma tarifa melhor, mais econômica e com melhores condições, e o cliente não deve hesitar em contratá-la. Desta forma, sempre terá a melhor tarifa contratada.

Para comparar as companhias, o cliente deve perceber que cada uma delas oferta e publica umas tarifas de luz e de gás e luz, onde tem descontos aplicados sobre os preços regulados pela ERSE, ou simplesmente tem uns preços diferentes. Confie na nossa informação para estas decisões, onde temos toda a informação actualizada.

Dicas para a poupança da eletricidade

Substitua as lâmpadas incandescentes e as de halogéneo.

Troque as lâmpadas incandescentes Substitua as lâmpadas incandescentes e as de halogéneo. Com uma utilização média de cinco horas diárias, recupera o investimento em menos de seis meses. A troca por lâmpadas economizadoras permite que uma família poupe no consumo de electricidade.

A eficácia das lâmpadas fluorescentes tubulares é muito maior do que as incandescentes, pois produzem menos calor e a electricidade destina-se mais à obtenção de luz. São mais caras, mas consomem até menos 80%. As lâmpadas de baixo consumo são pequenos tubos fluorescentes adaptados a vários tamanhos, formas e suportes das mais comuns e a sua poupança permite amortizar o investimento antes de terminar o tempo de vida útil..

Não são recomendáveis para sítios onde se acenda e apague muitas vezes a luz, porque este comportamento reduz significativamente a sua vida útil.

Acabe com o “Standby” O termo “standby” é empregue quando os aparelhos consomem energia sem que estejam a desempenhar a sua função. É fundamental desligar completamente televisões, computadores, DVD, carregadores de telemóveis, ou qualquer outro aparelho. A Agência Internacional de Energia, estima que o “standby” seja responsável por 5% da electricidade consumida numa habitação.

Divida o consumo pelo tempo Com a tarifa bi-horária, transfere parte dos consumos para a noite e fim-de-semana, sendo que o aquecimento e o arrefecimento à noite também entram na tarifa mais baixa. Consumir 40% da energia da sua casa na tarifa mais económica permite-lhe poupar 67 euros por ano.

Com a tarifa bi-horária, paga quase metade do preço normal se utilizar os electrodomésticos nas horas do vazio, regra geral, entre as 22 e as 8 horas. Coloque as máquinas de lavar a trabalhar nesse período, bem como o ferro de engomar. Segundo os peritos da Quercus, uma família que tenha uma conta de electricidade de 540 euros por ano (45 euros por mês) e de gás natural de 300 euros anuais (25 euros por mês), consome em média 4 mil kW por ano.

Electrodomésticos classe A Algumas famílias compram um frigorífico novo, mas não se desfazem do antigo, que fica ligado num anexo ou garagem da casa. Com este acto, “deita fora” 50 euros por ano.

Opte por electrodomésticos de classe energética A, A+ ou A++. Uma máquina de lavar roupa antiga a funcionar pode ser um rombo na carteira. Segundo a Quercus, se a trocar por uma nova, da classe A ou superior, pode poupar 420 kWh, isto é, 56,70 euros por ano. Com o frigorífico ou arca congeladora, é igual. Trocando o seu modelo antigo por um energeticamente mais eficiente (A+ e A++), além de poupar nos kWh por ano.

Economize o seu frigorífico Ajuste o termostato para manter a temperatura de 5ºC no compartimento do frigorífico e -18ºc no congelador. Segundo os especialistas da Quercus, se abrir e fechar a porta muitas vezes, aumenta o consumo energético em 20%.

Coloque o frigorífico num local fresco e ventilado, afastado de possíveis fontes de calor, radiação solar ou do forno. Limpe a parte traseira, pelo menos, uma vez por ano e descongele antes que a camada de gelo atinja os 3 milímetros de espessura. Com esta atitude, pode poupar até 30% no consumo. Deixe arrefecer os alimentos antes de os colocar no frigorífico.

Louça suja até encher a máquina Limpe frequentemente o filtro, porque uma boa manutenção melhora o comportamento energético. Mantenha os depósitos de abrilhantador e sal sempre cheios, pois reduzem o consumo de energia na lavagem e secagem.

Cerca de 90% do consumo das máquinas de lavar louça serve para aquecer a água, segundo o Guia da Eficiência Energética. Um electrodoméstico de classe A consome 2.544 kWh em 10 anos, o que corresponde a 280 euros. Outro da classe C consome 3.240 kWh nesse período e aumenta os gastos.

Sonda de água para lavar roupa Utilize programas de baixas temperaturas e o calor do Sol para secar roupa.

A maior parte da energia consumida pelas máquinas de lavar roupa (entre 80% e 85%) é utilizada para aquecer água, pelo que deve recorrer a programas de baixas temperaturas. Existem no mercado máquinas bitérmicas, com duas entradas de água independentes, uma para a água fria outra para a quente, mas estão pouco difundidas.

Utilizam o sistema de produção de águas quentes da casa, permitindo poupar 25% no tempo de lavagem. Opte por máquinas com etiqueta de classe A, aproveite ao máximo a sua capacidade e faça programas com cargas completas. As máquinas que têm uma sonda para medir a sujidade não renovam a água enquanto não for necessário.

  • Centrifugar antes de secar
  • Porta do forno bem fechada
  • Micro-ondas poupa energia

Ao utilizar o micro-ondas em vez do forno tradicional reduz o consumo de energia entre 60% a 70%. Antes de preparar a refeição, escolha os recursos disponíveis, como o micro-ondas, fogão e, por último, o forno. Se optar pelo segundo, procure que o fundo dos recipientes seja ligeiramente maior do que o bico do fogão, aproveitando o calor ao máximo.

Utilize panelas com fundos de grande difusão de calor e, sempre que possível, opte por cozinhar em panelas de pressão, que consomem menos energia. Tape as panelas durante a cozedura e aproveite o calor residual das placas eléctricas, desligando-as cinco minutos antes do prato estar pronto.

Partilhar no Facebook  Partilhar no Twitter  Partilhar no Google Plus